sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Capela de S.João da Fraga...Por terras sagradas.


Alto de S.João da Fraga, ou a magia de um local único...

São totalmente desconhecidas as origens desta capela, não se sabe nem quando nem quem a mandou construir.
Pretende visitar este fabuloso local?. Prepare então as botas de montanha porque não existe uma forma fácil de aqui chegar...
A capela a mais de 1.100 metros de altitude obriga a percorrer cerca de 9 Klms por aquele que é porventura o mais emblemático trilho de Pitões das Júnias, um trilho que tem tanto de belo e fascinante como de íngreme e penoso.
Os moradores de Pitões das Júnias cumprem todos os anos no primeiro Domingo após o dia de S.João uma tradição religiosa que tal como a capela também é desconhecida, deslocam-se desde a aldeia a esta fraga onde é celebrada uma missa e onde rezam em honra de S.João da Fraga depois de uma pequena mas sentida procissão à volta da capela, no regresso da romaria todos confraternizam ao som de concertinas e de gaiteiros locais debaixo de um carvalhal com as merendas que ali são deixadas.
A festa termina durante a noite com mais um convívio mas já na aldeia.

...e porque falamos de Pitões!

-Miguel Torga - Diário - Vols.XIII a XVI (Dedicado a Pitões das Júnias)

"Só vistas, a aspereza deste ermo e a pobreza do mosteiro desmantelado. Mas canta dia e noite, a correr encostado às fundações do velho cenóbio beneditino, um ribeiro lustral. E o asceta e o poeta que se digladiam em mim, de há muito peregrinos desta solidão, mais uma vez se conciliam no mesmo impulso purificador, a invejar os monges felizes que aqui humildemente penitenciaram o corpo rebelde e pacificaram a alma atormentada. O corpo a magoar-se contrito no cilínio quotidiano da realidade e a alma a ouvir de antemão, enlevada, a música da eternidade"































Sem comentários:

Enviar um comentário