Música

segunda-feira, 6 de março de 2017

Um pouco de mim...Palavras do coração, fotos que significam vida.



POR ONDE E DE ONDE VENHO NÃO DEFINE PARA ONDE VOU...

E para onde vou eu?...Num mundo de incertezas onde reina a correria desenfreada de uma sociedade gananciosa, neste planeta doente onde teimo em procurar o meu lugar, onde teimo em procurar um sinal que me guie na procura de alento e conforto refugio-me na calmaria silenciosa das montanhas, procuro o meu "eu" verdadeiro, procuro o meu lado mais genuíno, vejo a montanha como o meu refúgio espiritual e emocional, como o meu bastião de liberdade, venero a sua grandiosidade, a sua complexidade e rusticidade, a montanha dá-me tanto e tão pouco me pede, a montanha foi cicatrizando algumas feridas, outras serão eternas mas vivo agora em paz com o meu verdadeiro ser, memórias obscuras já não me atormentam, não passam disso mesmo...Memórias.
Sei que o tempo foi-me fugindo, sei que a solidão e o silêncio se tornaram formas de atingir a liberdade, a solidão no fundo era a minha companhia, uma companhia que eu precisava de ter coragem de enfrentar, sabia que a solidão não era incurável, só quando somos abandonados por nós mesmos ela se torna intratável, ela não se cura com a companhia de outros, se cura com amor próprio, o meu amor próprio exalta-se mais na solidão e eu estava ali presente, eu era a minha melhor companhia, sempre detestei que me roubassem a solidão sem em troca me oferecerem verdadeira companhia, a minha solidão não me magoou, a minha solidão foi uma escolha e ela só doí quando é inevitável, tentei em vão convencer-me que a felicidade se encontrava no isolamento, percorri um sem número de trilhos e senti que nunca cheguei a lugar algum, senti que não era por ali, senti tanta coisa mas voltava a tentar, solidão, aquele lugar bom de visitar mas mau para lá ficar, senti que não era ali que queria viver mas voltava vezes sem conta, procurei quem me acompanhasse no meu caminho, o caminho era empedrado, era um caminho difícil pensava eu, a longa espera eu entendia como um sinal, um sinal de que algo especial estava reservado para mim, procurei-te mas não te via, não desanimei, fui continuando a minha busca, o meu caminho na solidão, queria romper a solidão e perceber como me comunicar com alguém, aquele alguém especial, aquele alguém que não conseguia encontrar, a solidão pode ser bela mas apenas quando sei que estando sós tenho alguém com quem falar, alguém que me espera no regresso.
A procura continuava enquanto trilhava o meu caminho, a solidão cada vez mais deixava de ser a minha companhia, queria encontrar-te, onde estás?, pensava eu por vezes, pensava tanta coisa, como te posso encontrar se fecho a porta a quem se tenta aproximar, mas sentia que estavas perto, não te encontrei mas tu encontraste-me, deste-me a mão e mostraste-me o caminho, ficaste ao meu lado, aquele momento em que te vi percebi que tinhas chegado, li nos teus olhos "estou aqui", num repente a dor que o ontem deixou já não me doí, percebi que posso ir mais longe depois de pensar que não podia mais, percebi que a vida tem valor e eu tenho valor diante da vida.
Por vezes tudo se transforma num pequeno instante, num simples olhar, num simples toque, numa curta frase, num curto instante percebi que amar também é encontrar a própria felicidade na felicidade alheia.
Sinto-me como se a minha vida começa-se agora, surgiste do nada e em pouco tempo ofereceste-me mais do que eu precisava, hoje caminho a teu lado, hoje sinto a tua companhia mesmo quando estás longe, sinto-me grato por me apontares o caminho e o o seguires a meu lado, sinto-me grato pelo privilégio de partilhar contigo o mesmo sentimento, o mesmo amor, o amor por ti...

Dizem que o nos define é o que alcançamos, não penso assim, acho que o que nos define é o que alcançamos depois da queda...E como diz uma bem conhecida música "I'm still alive"

"SOCIETY"

"É um mistério para mim, possuímos uma avareza com a qual concordamos, e quando queres mais do que precisas, não serás livre até que tenhas tudo.
Sociedade és uma espécie louca, espero que não te sintas sozinha sem mim..."

OBS: Esta publicação será atualizada sempre que possível, infelizmente todas as minhas fotos antigas desapareceram, ficam as lembranças doutros tempos mais irracionais...










































































































































































































































































































































































































Serra da Estrela (1991)








4 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. És um ser especial...
    Fico feliz por te ter conhecido..
    Nem sempre a solidão é o melhor caminho....❤

    ResponderEliminar
  4. És um homem especial..
    Ainda bem que te encontrei..
    A solidão nem sempre é boa para companhia...estou aqui sempre ..❤

    ResponderEliminar